Como viajar para a Patagônia Argentina sem pacote de viagem?

Chegou as férias de julho tão esperadas ou, por algum imprevisto, você conseguiu os dias sonhados de descanso, mas não fez um pacote de viagem? Não fique triste, tá? Afinal, é possível, sim, viajar sem pacote e uma das nossas sugestões aqui será para a Patagônia Argentina. Que tal?

Essa foto já dá vontade de estar lá, não é?

“Ah, mas é muito mais caro em cima da hora”, “Ah, mas dá muito mais trabalho comprar sem ser um pacote de viagem pronto”, “Ah, mas será que compensa?”. Bem, essas e outras perguntas serão respondidas por aqui. Então, continue a ler esse conteúdo, combinado?

Mas, antes de iniciarmos essa proposta de viagem sem um pacote, o que acha desse destino: a Patagônia Argentina? Gosta? Conhece? Se você nunca ouviu falar ou sabe pouco a respeito, vamos resolver essa questão agora mesmo.

A Patagônia Argentina

Esse é um daqueles destinos que não é para qualquer pessoa. Claro que todos podem ir, o que não quer dizer que todos gostarão, compreende? Isso porque, principalmente, nessa época de julho, o frio é bastante intenso. Sendo assim, se o frio não te atrai, hora de repensar o destino.

Agora, se o seu perfil é mais aventureiro, que gosta de frio e aprecia aqueles cartões postais bem gélidos, então, provavelmente vai gostar bastante da Patagônia Argentina. Além disso, existe a possibilidade de esquiar que é bem atrativo na região.

Entrando no detalhe da Patagônia em si, ela possui uma área de cerca de 800 mil quilômetros de extensão territorial, bem no sul da América do Sul, se dividindo entre Chile e Argentina. Inclusive, uma curiosidade aqui é que Bariloche faz parte da Patagônia Argentina.

A natureza é inexplicável!

Muitos turistas gostam dessa região, falam e visitam, mas na maioria das vezes não compreendem bem a localização. Mas, em termos de Argentina, se pegarmos duas cidades como ponto inicial e final, por exemplo, Ushuaia e Las Lajas, teremos aproximadamente 2500 quilômetros.

Bem, e agora que já está ambientado a Patagônia Argentina, vamos às possíveis cidades que poderá visitar e conhecer.

Cidades para visitar na Patagônia Argentina

A escolha das cidades vai depender muito também do seu perfil viajante, além, claro, de outras questões, como:

  • Financeiro (orçamento);
  • Tempo disponível para viajar;
  • Gosto.

Mas aqui, pensando em facilitar esse seu passeio sem pacote de viagem, acompanhe uma segunda lista, agora, das cidades mais queridinhas quando falamos em Patagônia Argentina. Vamos lá?

  • Bariloche: encontra-se cerca de 800 quilômetros de distância da capital Argentina – Buenos Aires.
  • Trelew: de Buenos Aires até essa cidade é um pouco mais de 1000 quilômetros.
  • El Chatén: está mais afastada, chegando próximo a 2400 quilômetros de distância.
  • El Calafate: bem próximo da cidade anterior, está essa daqui com pouco 2468 quilômetros de distância da capital.
  • Ushuaia: é a última cidade da lista e fica mais distante, batendo os 2700 quilômetros de distância.

Vale ressaltar que das cidades descritas, você ainda pode reduzir as opções para agilizar e facilitar ainda mais. Por isso, pegue essa dica: visite Bariloche, El Calafate e Ushuaia, nessa ordem pela questão da distância vista anteriormente.

E o transporte para lá?

Em se tratar de um destino na América do Sul com proximidade ao Brasil, até é possível ir de carro, porém é bem cansativo, desgastante e tomaria muito do seu tempo na estrada. A menos que esteja sem pressa de ir e vir.

Mas, vale destacar também que nessa época de julho, devido às temperaturas bem baixas e o gelo, é bem arriscado fazer esse percurso com carro e sem experiência de dirigir nessas condições.

Sendo assim, o ideal é programar já quais cidades deseja visitar e fazer uma pesquisa, a partir da quantidade de dias que possui e o quanto pretende ficar em cada cidade. Uma boa opção para visualizar esse cenário é o aplicativo ou site do Skyscanner.

Muita atenção nesse ponto, levando em consideração possibilidade de atrasos. Assim, procure organizar bem os horários dos voos para evitar imprevistos, mesmo que algum voo ainda assim atrase.

E as hospedagens?

Em Bariloche, por exemplo, a mais básica você consegue em torno de R$ 150 a diária. Uma sugestão: Hotel Valhalla. Já em El Calafate, você encontra hostels e aí fica mais em conta sua viagem (em torno de R$ 67 a diária).

Por fim, em Ushuaia, você também encontra a possibilidade de hostels por cerca de R$ 100 o dia. Lembrando que essa é uma estimativa de preço e não havendo parceria com esses locais, o ideal é fazer uma busca atual.

O melhor cenário

Sempre se programar! Aí, você ganha tempo e bem provável, dinheiro, afinal, consegue se organizar e escolher muito melhor seu destino.

Com essa pauta de antecedência, leve em consideração, de 15 a 120 dias, a depender da cidade escolhida. Combinado?

Informações adicionais para sua viagem sem pacote

Quando viajamos assim, “avulsos”, nem sempre encontramos pessoas que nos ajudem, como os guias das agências de viagem e aí precisamos já saber de algumas informações, por exemplo:

Vá como esse rapaz, preparado para o frio!!!
  • Vá preparado com roupas de frio, caso sua viagem seja nesse período de julho;
  • Na Patagônia Argentina, a moeda oficial é o peso argentino. O dólar é aceito, porém não em todos os locais, então, fique atento;
  • Em média, você gastará pouco mais de 2 mil pesos argentinos por dia, além dos passeios;
  • Se conseguir, já agende os passeios tudo pela internet, assim, você consegue economizar mais.

E aí, agora que você já sabe que não precisa de um pacote de viagem para se divertir, está preparado(a) para essa aventura? Topa?

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.