Quanto tempo de casado tem que ter para ir para o japão? Em dias como estes, você deve estar querendo sair, desbravar e até mesmo enfrentar o desconhecido, por isso já parou para pensar se precisa casar para morar no Japão?

A terra do sol nascente é considerada por muitos outros países como um sonho, local de muita riqueza cultural, sem contar que a qualidade do sushi lá é indescritível;

A questão é, muitos dos vistos ofertados para quem vive no outro lado do mundo são os de emprego para não descendentes no Japão é algo mais concorrido, porém não impossível.

Existe também a possibilidade de adquirir vistos de turista e até mesmo estudante, isso se deve ao fato de que o Japão adora receber alunos que possam abrir ainda mais portas em seu mercado de trabalho, um grande esforço pode promover muito mais valor e respeito do que você comumente pensaria.

Mas voltando ao tema de se precisa casar para morar no Japão, pois bem, não é totalmente necessário você casar com uma pessoa que seja nativamente japonesa para adquirir o seu visto de moradia, caso você dê a sorte de se apaixonar por um descendente de japonês, pode ser que a jornada seja mais tranquila para você conseguir o seu visto.

Mas é muito importante ressaltar de que pelo menos você já chegue no país falando um pouco do idioma e compreendendo o dialeto dos japoneses, então, não perca mais tempo e inicie os seus estudos agora mesmo. 

MORAR NO JAPÃO
MORAR NO JAPÃO

Quanto Tempo de Casado para ir para o Japão?

Para poder ir para o Japão com o seu cônjuge, é necessário que primeiro você  solicite a emissão de um documento conhecido como Visto de Cônjuge, ele é essencial para a entrada sua e de seu pretendente a terra do sol nascente, assim que você já estiver com o visto em mãos, já é possível embarcar no avião com destino só de ida ao Japão.

Para fazer a emissão do visto de cônjuge será preciso:

Passaporte original, formulário de pedido de visto preenchido, foto 3×4, cópia autênticada do RG  e CPF, Cópia da certidão de casamento autenticada e traduzida para o japonês, Koseki Tohon ou Koseki no Zenbujikoshomeisho do cônjuge sendo o original e uma cópia do mesmo.

O cônjuge deverá também apresentar os seguintes documentos:

1- Em caso de o cônjuge residir no Japão:

Carta de garantia original, Zaishokushomeisho original (atestado de emprego no Japão), Juminhyo original (atestado de residência no Japão), Cópia do passaporte em dia, Demonstração dos últimos 3 holerites e Comprovante de renda.

2- Em caso de o cônjuge ir para o Japão junto com o pretendente:

Carta de garantia original, Cópia do passaporte em dia, Demonstração dos últimos 3 holerites e Comprovante de renda.

Você Sabia?

Os filhos de imigrantes japoneses que vieram para o Brasil recebem o nome de Issei, já os que nascem deles, ou seja, a segunda e a terceira geração, se chamam respectivamente de Nissei e Sansei,  isso se deve ao fato de que ni e san significam segundo e terceiro em japonês. 

Quanto custa um casamento no Japão?

Dependendo da sua crença religiosa, é provável que a celebração exija um conjunto extenso de vestes, sem contar que você também precisa saber quantas pessoas irão comparecer para saber quanto dinheiro em comida deverá investir; Para até 100 pessoas convidadas pelo casal, é possível que seja investido pelo menos 3 milhões de Ienes.

Mas os casamentos orientais se distanciam um pouco do que é visto no Brasil, eles atribuem uma decoração mais discreta mas que não larga de ser elegante, sem contar que gostam de adicionar muitos detalhes que remetem a sua cultura que fica do outro lado do mundo, reza a lenda que isso proporciona a atração de boa sorte para o casal recém casado.

Começando pelo fato de que na terra do sol nascente, é comum se utilizar três taças para a realização da cerimônia e ao invés do vinho, normalmente os japoneses optam por utilizar saquê ou em últimas situações, o champagne.

As taças representam em ordem a menção ao juramento para Deus, a segunda o reconhecimento dos amigos, familiares e pais do casal e por fim a terceira tem o objetivo de simbolizar as novas pessoas que venham a surgir ou a vivenciar a nova vida junto a noiva e ao noivo. 

Existe também a implementação de 2 rosários que ficam sobre o altar onde é realizado o casamento; Para os japoneses, esses rosários representam nada mais nada menos que a união das famílias do noivo e da noiva.

Fica muito elegante se você adicionar ao altar, lanternas japonesas como decoração, mas a utilização de origamis pendurados sob fios de nylon podem criar uma atmosfera surpreendente, vale a pena testar.

Sem contar que o grande símbolo da terra do sol nascente, as árvores de cerejeira, podem ser algo simplesmente esplêndido de adicionar a decoração, nem que seja feita com tecidos ou com outros acessórios de ornamentação. 

Lembre-se:

Seja qualquer modelo de casamento que você for adotar, a contratação de um bom fotógrafo pode ser vital; Isso para que você tenha um momento registrado para a eternidade junto de sua amada e que quando vocês reverem as lembranças deste dia tão especial, seja possível erguer sorrisos do seu amado(a) até nos momentos mais difíceis.  

Quais as principais regras do divórcio no Japão?

Se você pretendia procurar por um trabalho para brasileiros no Japão, ou até mesmo estava querendo saber se precisa casar para morar no Japão, é importante ter em mente de como são as principais regras do divóricio no Japão, visto que o jurídico da terra do sol nascente é muito forte, você precisará ter algumas coisas preparadas em mente:

O primeiro passo é que você precisará apresentar um documento chamado Notificação de Divóricio a prefeitura responsável pela sua província e também uma cópia ao seu país de origem;.

Sem contar que para uma família que é formada pelos pais e um ou mais filhos que ainda é não atingiram os 20 anos completos, será necessário decidir quem será o responsável pela guarda dos mesmos, caso o contrário, a notificação de divórcio será anulada. 

Caso tudo ocorra legalmente e de acordo com os conformes, o atual divorciado deverá se encaminhar a um escritório de imigração para solicitar o seu novo visto, isso por que após o divórcio, o ex-cônjuge perderá o visto ofertado para ele quando estava em união com um japonês; Os documentos necessários para isso são:

Notificação que conste o divórcio, Registro de Família, Passaporte, Cartão de Permanência e apenas em casos de julgamento em corte, os laudos da ação não consensual.